Cortar calorias na dieta é uma alternativa saudável?

 
Cortar calorias é uma opção?
 

Oie pessoal, hoje vim quebrar um grande tabu. E esse é dos feios… Toda vez que escutamos uma amigo contando que começou uma nova dieta, no que imediatamente a gente pensa? Cortar calorias!!! Mas daí eu pergunto: Será que cortar calorias é mesmo a melhor alternativa? Posso te afirmar seguramente que NÃO!!!

Vamos partir do seguinte princípio: existe uma lei fundamental da termodinâmica, segundo a qual nenhuma energia é perdida, mas transformada. Ou seja, a quantidade de energia num dado sistema (fechado) permanece constante. Enfim, o foco aqui é entendermos que a partir da década de 50 os exercícios físicos passaram a ser vistos com outros olhos pela ciência – e isso coincide com o aumento do consumo de açúcar no mundo. Até então, os exercícios eram considerados perigosos para o coração, mas depois começaram a ser percebidos como uma poderosa ferramenta para combater a obesidade.

Mas se você ingere calorias, você tem que queimá-las para equilibrar a balança energética do seu corpo e não armazená-las na forma de gordura corporal, certo?

ERRADO!!! Apesar deste pensamento parecer bem simples e racional, hoje sabemos que não funciona exatamente assim. O fato é que décadas foram marcadas pela febre do “vamos queimar calorias” em vez de aprendermos as causas desta ingestão calórica exagerada. E este discurso continua impregnado em nossa cultura, apesar das taxas de obesidade e outras doenças crônicas relacionadas a uma dieta hipercalórica terem disparado exponencialmente em todo o mundo.

Outra questão que deve ser esclarecida é o tipo de caloria. Aí você me pergunta: “por que, uma caloria não igual à outra? NÃO! 100 calorias de castanhas não são o mesmo que 100 calorias de um refrigerante, por exemplo. Tudo isso tem a ver com a maneira como o nosso organismo metaboliza o alimento que ingerimos, como se dá a digestão, a velocidade de absorção do alimento, a quantidade de açúcar (pacotes de energia) que entra na sua corrente sanguínea, e como o corpo aproveita ou reage a isso.

É basicamente simples: se você ingere alimentos que chegam à sua corrente sanguínea de uma vez, seu corpo percebe aquela injeção de açúcar no sangue como uma ameaça.

É basicamente simples: se você ingere alimentos que chegam à sua corrente sanguínea de uma vez, seu corpo percebe aquela injeção de açúcar no sangue como uma ameaça. Então produz insulina, que diz ao seu fígado: “ei, armazena este excesso de energia aqui!”. E o que o seu fígado faz? Transforma grande parte deste excesso em gordura, que se deposita em vários locais do seu corpo onde não deveriam estar.

Em poucas palavras, 100 calorias de refrigerante ou suco de caixinha equivalem a poucas calorias que as suas células usam de fato, mas muitas calorias que seu corpo estoca – e uma sede ou fome que não passa, porque seu organismo continua mal nutrido. E daí o que você faz? Come mais calorias. Pronto, está aí o círculo vicioso. Por outro lado, devido às fibras, as 100 calorias de castanhas ou de uma fruta são metabolizadas lentamente por seu corpo, de forma que a energia é jogada no sangue lentamente. Assim, as suas células vão aproveitando e seu sistema de controle energético avisa que você está saciado. Enfim, isso não é um “Alien” no seu organismo, mas sim um pacote completo de energia e muitos nutrientes que a natureza fez de forma harmônica e saudável para você. Você tem apenas que aprender a se alimentar corretamente de acordo com suas necessidades.

Artigo originalmente publicado pela Dra. Priscilla Dutra no site Ativo.com.